AÇÕES

Associação Mulheres de Odun

Em janeiro de 2009, o grupo realizou um curso piloto sobre produção acadêmica de mulheres negras, via plataforma de educação a distância – MOODLE. Esta ferramenta possibilitou integrar pessoas de diferentes regiões do país. Houve um grande número de inscrições que superou as expectativas da AMO. Eram apenas 100 vagas e, em três dias, 450 pessoas se inscreveram. Por meio desta experiência piloto identificamos a necessidade de institucionalização do grupo e fundação da Associação Mulheres de Odun (AMO).
Após fundação oficial da Associação, que ocorreu no ano de 2010, a organização se debruçou sobre 3 projetos: o curso “Produção Intelectual de Mulheres Negras” com duas edições realizadas 2009 e 2010; o Cine no Kanzu – sessões cinematográficas de filmes que abordam temática racial e de gênero acompanhado de debates – com 3 anos de e duração e em média 30 filmes já vistos e debatidos; e o Festival Mulheres Mc’s – 1ª edição 2010/2011, 2ª edição 2012/2013.

Curso Produção Intelectual de Mulheres Negras (2010)

Uma história pode ser contada por meio de diversas versões. Na versão “oficial” da história do Brasil a trajetória das mulheres negras é pouco evidenciada, contudo, este curso apresentou uma cronologia de alguns períodos da história política brasileira com enfoque na trajetória das mulheres negras.
O curso aconteceu na plataforma de educação à distância Moodle e contou com recursos interativos de vídeos, chat e fóruns de debates que permitem a troca de conhecimento e um rico diálogo sobre a realidade da mulher negra e a sua produção intelectual.
O curso foi dividido em oito módulos, sendo que os sete primeiros fizeram referência a um período histórico brasileiro e o oitavo foi uma web-conferência ministrada pela Drª Sueli Carneiro. Em cada módulo houveram textos e atividades que foram ser realizadas no prazo pré-estabelecido pela equipe pedagógica. Os textos eram descritivos e informativos.
Cada turma contou com no máximo 60 participantes e foram acompanhadas por uma tutora. As turmas eram compostas por 70% de mulheres e 30% de homens que demonstraram relação incipientes com o debate sobre relações raciais.
Contamos com recursos financeiro da Secretaria Municipal de Participação e Parceria da cidade de São Paulo. Apoio Institucional do Instituto Geledés e Associação Frida Khalo. A equipe foi composta a partir de indicação de profissionais da rede das três instituições ( Amo, Frida e Geledés) mais quadros internos da organização.


Palestra de Produção Intelectual de Mulheres Negras – Palestrante Sueli Carneiro

Festival Mulheres Mc’s (2010/2011) (2012/2013)

A ideia do Festival Mulheres Mc´s nasceu em 2010 e teve sua primeira edição concretizada em 2011, partiu para segunda edição em 2012 com finalização em 2013 e encaminha-se para terceira edição com realização prevista para 2014. Surgiu da parceria entre interpretes femininas próximas do Movimento Hip Hop e a Associação Mulheres de Odun e a Empresa Odun Formação & Produção de Bens Culturais Ltda com intuito de ampliar a visibilidade da atuação e protagonismo das interpretes influenciadas pelo Movimento Hip Hop na cena musical brasileira.
Na primeira edição do Festival Mulheres Mc´s, privilegiou-se o canto das mulheres intérpretes de composições que abordassem a temática de gênero. A vencedora do 1º lugar foi premiada com um vídeo clipe produzido pela Odun Produções, intitulado “Amor ao Rap”, tal qual a musica que lhe deu origem; a vencedora do segundo lugar foi premiada com a gravação do sinngle “Menina Pretinha”, também produzido pela odun; e a do terceiro lugar foi premiada com um microfone hureSm 58 Lc. Já na 2ª Edição, que teve como tema “Referencias Negras Femininas”, o Grupo D´Origem levou o 1º Prêmio gravando o clipe “ D´Origem Africana” , a banda Mahins levou o 2º lugar e gravou o single “ Pretas Guerreiras” e a intérprete Leca Soul ficou com o 3º lugar premiada com um microfone hureSm 58Lc.
Contamos com recursos financeiro da Secretaria Municipal de Participação e Parceria da cidade de São Paulo para 1ª edição e recursos da Secretaria Municipal de Cultura da cidade de São Paulo por meio do programa VAI para 2ª edição. Apoio técnico da empresa Odun Produção de Bens Culturais. Apoio Institucional da Frente Nacional das Mulheres no Hip Hop, Ação Educativa, Hip Hop Mulher; permuta com as marcas Pegada Preta, Ana Crepa e CrespoSim; parceria com a Sala Olido (cessão espaço) e Fundação Tide Setubal ( cessão equipamento e som).
Clipe Amanda Negra Sim

Clipe D” Origem

Cine no Kanzu (2009 a 2013)

O Cine no Kanzu foi um espaço para reflexões a partir da exibição de títulos cinematográficos dirigidos por africanos e afrodiaspóricos. Acontece sempre no último domingo do mês.
O objetivo é entender a estética e dialética do cinema feito no continente africano e na diáspora africana. Kanzu significa “casa pequena” em banto, idioma utilizado na região do Congo. Após a sessão, que ocorre na sede da AMO, há um breve debate sobre as questões apresentadas no filme (prioritariamente de gênero e raça).
Ao longo das diversas sessões do Cine no Kanzu já estabelecemos parcerias com Embaixada Francesa, FUNCEB – DIMAS, a empresa Odun Produções de Bens Culturais e o coletivo Cine Becos, todas no intuito de disponibilização de títulos cinematográficos ou projetor apropriado.

jennifercinenokanzu

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s